Music Branding: Como Influenciar seus Clientes através da Música?

Neste postblog, vamos falar um pouco sobre Music Branding e como influenciar seus clientes através da música. Você sabia que dentre todos os 5 sentidos, a audição é o segundo com maior relevância para os consumidores? Definitivamente, a audição tem a capacidade de unir pessoas aos ambientes. Isto é, a ausência de som pode criar […]

Seu Cliente Oculto
9 de maio de 2022
Music Branding: Como Influenciar seus Clientes através da Música?

Neste postblog, vamos falar um pouco sobre Music Branding e como influenciar seus clientes através da música.

Você sabia que dentre todos os 5 sentidos, a audição é o segundo com maior relevância para os consumidores?

Definitivamente, a audição tem a capacidade de unir pessoas aos ambientes.

Isto é, a ausência de som pode criar um ambiente sem sentido e sem graça para o seu consumidor.

Music Branding

O que é Music Branding?

De antemão, seja em momentos positivos ou negativos, a música faz parte da vida de todas as pessoas do mundo.

Nesse sentido, ela tem o poder de fazer as pessoas lembrarem das histórias já vividas ou de alguma sensação feliz.

As empresas estão começando a usar o Music Branding, que é uma estratégia super assertiva, para criar a identidade sonora da sua marca.

Isto é, transmitir para o cliente, através de playlists musicais, a essência da marca.

Além disso, alguns pontos precisam ser levados em consideração na hora de botar a música no seu negócio.

É preciso entender quem é o público alvo, quem frequenta o estabelecimento e também qual é a mensagem que a marca quer transmitir para essa pessoas.

Todos estes pontos precisam ser levados em consideração.

Caso o contrário, você não vai conseguir montar a playlist ideal para o sue negócio.

 

O que é Music Branding?

 

Quais estabelecimentos podem usar o Music Branding?

Essa estratégia é bem ampla, ela pode ser utilizada por vários segmentos.

Os mais comuns são lojas de varejo, estabelecimentos do ramo alimentício (supermercados, por exemplo), clínicas de saúde (médica, odontológica, estética e afins), bares, restaurantes, dentre muitos outros.

 

Quais estabelecimentos podem usar o Music Branding?

 

Diferença entre Music Branding e Sound Branding

Contudo, antes de continuarmos, é muito importante você entender que estas duas nomenclaturas são diferentes.

O Sound Branding é uma estratégia utilizada para a construção de jingles ou de assinaturas sonoras de marcas.

Quem nunca ouviu um: “De mulher pra mulher, Marisa” ou um “Dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola, picles, num pão com gergelim” ou até mesmo um “Dolly Guaraná o sabor brasileiro.”

Todos eles são exemplos de Sound Branding.

Já o Music Branding tem uma abordagem diferente que consiste na construção de uma trilha sonora voltada para uma marca.

Isto é, o intuito dela é gerar um vínculo emocional e consequentemente, criar uma identificação com o consumidor.

Em suma, o objetivo é : quando estiver dentro da sua loja, o cliente vai ouvir a música e sempre quando escutar uma melodia parecida, ela vai se recordar da sua marca.

 

Diferença entre Music Branding e Sound Branding

 

Efeito da Música na Mente das Pessoas

Primeiramente, é preciso ter consciência que a música causa efeitos sobre o estado de humor do seu cliente.

Esse efeito pode ser positivo ou negativo, ou seja, ele pode identificar a sua música como um ruído bem irritante ou uma bela melodia.

Em outras palavras, se você escolher uma música mais lenta por exemplo, é provável que o ritmo dos seus clientes diminua, deixando eles mais calmos na loja.

Com isso, eles conseguem olhar mais o produto e consequentemente, comprar mais itens.

 

Efeito da Música na Mente das Pessoas

 

Neuromarketing e  Music Branding

Quando o neuromarketing começou a entrar em ação, ele começou a se envolver mais dentro do processo de definição de mensagens publicitárias.

Posteriormente, algumas experiências com os consumidores foram realizadas dentro do ponto de venda.

Essas experiências trouxeram alguns resultados muito interessantes e que comprovam o quanto alguns estímulos ambientais são capazes de influenciar as nossas decisões.

 

Neuromarketing e  Music Branding

 

Até que ponto a música influência na tomada de decisão?

Um estudo realizado em uma universidade do Reino Unido (Leicester), buscou compreender como era a influência da música em supermercados.

O resultado foi surpreendente!

A princípio, eles pegaram uma sessão de vinhos no supermercado e botaram músicas francesas no alto-falante.

A partir destas músicas, os pesquisadores observaram o incremento de 77% no volume de compras dos vinhos franceses.

Eles avaliaram isso com base em uma média histórica, onde não havia nenhum estímulo de compra.

Automaticamente, foi possível perceber que a música é capaz de influenciar positivamente o comportamento de compra de uma pessoa.

Mas, eles queriam levar a pesquisa mais longe ainda.

Afinal, será que o consumidor estava consciente de que ele havia tomado uma decisão com base na música?

Para ter as respostas, os estudiosos esperaram os consumidores comprarem e os entrevistaram na saída da loja.

Depois de uma investigação e uma série de perguntas. mais de 90% dos clientes não citaram a música como decisora no processo de finalização da compra.

Impressionante, né? As pessoas não se lembravam de ter ouvido uma música que influenciou drasticamente a decisão de compras dela.

 

Até que ponto a música influência na tomada de decisão?

 

Como a música pode impactar no preço e na qualidade do seu produto?

Outro ponto é que a música pode influenciar não apenas na percepção do ambiente. Mas, também na percepção de preço e de qualidade.

Por exemplo, gêneros como: jazz, MPB e música clássica são ritmos que geralmente são associados a uma imagem de exclusividade e de alto preço.

Já as músicas consideradas “modinhas”, geralmente, são associadas a lojas mais populares.

 

Como a música pode impactar no preço e na qualidade do seu produto?

 

Passo a Passo de Como Aplicar o Music Branding na Prática

Agora, vamos detalhar contar na prática mesmo como você pode implementar o Music Branding na sua empresa.

 

Passo #1 – Alinhar a Música com o Posicionamento da Marca

Alguns fatores precisam ser levados em conta, como: O que o seu comércio vende? Qual é o estilo da empresa?

Por exemplo, se a sua loja só vende roupa feminina, é legal optar por músicas que tenham vocais mais femininos.

Dessa forma, será possível criar uma identificação da marca com os consumidores.

Outro exemplo: sua loja de moda praia, então é muito legal você usar músicas como um reggae ou um summer eletrohits.

Desse modo, a essência da sua marca vai combinar muito mais com o público que ela frequenta.

 

Alinhar a Música com o Posicionamento da Marca

 

Passo#2 – Entender o gosto do público alvo

Esse fator também precisa ser levado em conta: Qual é o gosto do seu público? Qual é a idade dele?  Qual é a classe social? O que eles gostam de fazer?

É preciso analisar todos estes pontos sobre o seu público e o comércio para criar uma playlist ideal.

Porque não adianta você colocar uma música lenta no interior da loja com o objetivo de reter mais clientes, tipo um bolsa nova, se o público alvo da marca é mais jovem/adolescente.

Da mesma forma, não faz sentido você colocar um pagode em uma loja de roupas mais finas como a Zara.

 

Entender o gosto do público alvo

 

Passo#3 – Deixe seu gosto musical de lado

Esse é o ponto que as pessoas mais erram.

Na hora de montar a playlist, você precisa deixar de lado o seu gosto musical.

O foco não é o que você gosta de ouvir, mas sim o que os clientes gostam.

Pode acontecer do gosto musical deles ser bem diferente do seu.

Nesse ponto, deixe de lado o gosto próprio, faça o estudo do seu público e desenvolva a playlist de acordo com o público que frequenta a loja.

Pense sempre na satisfação do cliente.

 

Deixe seu gosto musical de lado

 

Passo#4 – Curadoria Musical

Após realizada essa pesquisa detalhada de quais são os interesses, os desejos e o humor do seu público; chegou o momento de você colocar a mão na massa e começar a escolher as músicas que irão compor a playlist.

Isso nada mais é do que uma curadoria musical.

Nesse momento, você senta com a sua equipe, com todos estes dados, para começar a selecionar as músicas para tocar na sua loja.

Esse conceito de curadoria ganhou bastante força  nos últimos tempos, já que estamos na era onde tem informação em abundância.

Então, é legal você escolher com critérios o que é importante ou não para a sua marca.

É nesse conceito de curadoria que você vai parar e analisar quais são os artistas que tem tudo haver com a sua marca e como você quer transmitir a mensagem para o público.

Você tem que escolher quais são as músicas certas para serem tocadas para criar uma experiência de compra positiva e de acordo com o perfil dos seus clientes.

Com a música certa, você irá criar um ambiente de compra muito mais adequado e positivo para os seus clientes.

Tome cuidado! Cuide da identidade sonora da sua marca, pois isso pode te ajudar em muito e aumentar as suas vendas.

 

Curadoria Musical

 

Passo #5 – Utilize um bom equipamento de som

Nada do que aprendeu até aqui vai adiantar se você não tiver um bom aparelho de som.

Mesmo que a playlist criada tenha ficado super legal e alinhada com a marca e com o perfil do público, um aparelho de som que apresenta ruídos e xiados pode estragar tudo.

Invista em equipamentos bons e de qualidade. Dessa forma, você vai entregar o melhor resultado possível.

 

Utilize um bom equipamento de som

 

Passo #6 – Mantenha a playlist atualizada

Esse ponto é bem importante, pois não é apenas criar uma playlist e deixar ela rodando no estabelecimento por muito tempo.

As músicas são lançadas rapidamente e as tendências vão sempre mudando, por isso, você tem que manter essa playlist sempre atualizada.

Imagine o seguinte cenário: o cliente vai lá e compra na sua loja.

Depois de um tempo, ele volta e percebe que as músicas que estão tocando são as mesmas.

Ele vai sentir um desleixo e uma sensação de abandono da loja.

Além disso, a música desatualizada pode acabar irritando os colaboradores, pois eles são os que ficam mais tempo no estabelecimento

Afinal, ficar o dia inteiro ouvindo, as mesmas músicas, todos os dias os 7 dias da semana é de deixar qualquer pessoa desmotivada e irritada.

Então, preste atenção nisso.

 

Mantenha a playlist atualizada

 

Passo #7: NÃO USE A RÁDIO

JAMAIS FAÇA ISSO!

Se você tem feito isso no seu estabelecimento, pode parar imediatamente!

Sabe porque? Porque você não tem controle do que é tocado na rádio.

Na rádio, sempre tem uma pausa para comerciais ou para o locutor fazer algum comunicado.

Isso pode causar um desconforto no seu cliente e consequentemente, a saída dele do local.

Sem contar também das promoções.

Imagina só: o cliente está dentro de uma loja física de varejo.

De repente, ele escuta na rádio que o concorrente tá com uma promoção de queima de estoque de 60%.

O que você acha que ele vai fazer?

Se não for usada corretamente, a música pode prejudicar o seu negócio ao invés de ajudá-lo.

 

NÃO USE A RÁDIO

 

Passo #8 – Cliente Oculto e Music Branding

Por fim, você sabia que o Music Branding e o Cliente Oculto estão extremamente conectados?

As duas metodologias garantem a você os seguintes benefícios:

  • Aumento da satisfação;
  • Atração de novos clientes;
  • Aumento de vendas;
  • Fidelização do consumidor;
  • Aumento de tempo de permanência.

Veja o poder que temos na mão com estas duas metodologias!

Basta ter “coerência” e estrurá-las da melhor forma no seu negócio..

Além disso, você pode contratar um dos nossos planos de Cliente Oculto para verificar se o Music Branding está sendo efetivo na sua loja!

Afinal, existe melhor forma de saber se o cliente está tendo uma experiência positiva na sua empresa do que ouvindo direto da boca dele?

No nosso site, você encontra todos os nossos planos e as informações sobre cada um deles.

Confira clicando aqui embaixo:

Temos certeza que você fará a escolha certa e mais certeza ainda, que iremos ajudar a melhorar a imagem da sua marca de maneira surpreendente.

Qualquer dúvida, é só nos chamar em uma das nossas redes sociais.

 

Cliente Oculto e Music Branding